Resumo de certificações e normas mais aplicadas

ISO 9000 - Sistemas de Gestão da Qualidade
A família de normas ISO 9000 foi  publicada inicialmente em 1987 pela ISO - International Organization for Standardization, cujas diretrizes eram especificar em linhas gerais os requisitos de um Sistema de Gestão da Qualidade, cuja aplicação se estenderia para todos os tipos e segmentos da indústria.
Dentre os fatores que impulsionaram a grande difusão da certificação conforme a ISO 9000, podemos destacar a preocupação das empresas quanto à qualidade de seus produtos e serviços, maior credibilidade no mercado interno / externo e exigências ou barreiras técnicas para a realização de negócios.
A certificação ISO 9000 atesta que a empresa tem implementado um Sistema de Gestão da Qualidade, utilizando-se de métodos eficazes para o gerenciamento dos negócios, e assim proporcionando a melhoria contínua da qualidade de seus produtos e serviços e maior satisfação aos clientes.
Com a revisão da ISO 9000 versão 2000 houve uma profunda mudança conceitual da norma, refletindo os avanços alcançados nas técnicas de gerenciamento dos sistemas de gestão. A norma de certificação ISO 9001:2000 foi estruturada através do conceito de abordagem por processos, permitindo-se assim assegurar, de forma mais eficaz e eficiente, a gestão dos processos da qualidade da empresa e sua melhoria contínua.
A ISO 9001 passou por uma revisão e sua versão 2008 está disponível desde o dia 15 de novembro de 2008. No Brasil foi publicada em 28 de novembro de 2008. As principais mudanças são esclarecimentos dos textos e vieram para facilitar o entendimento por parte dos usuários. 
ISO/TS 16949 - Requisitos Automotivos Globalizados
Em 1999 um novo padrão harmonizado foi publicado, denominado ISO/TS 16949 (especificação técnica). Desenvolvido pelo IATF (International Automotive Task Force) e submetido à ISO para aprovação e publicação, esse documento descreve um sistema da qualidade comum para a indústria automotiva mundial, tendo sido inicialmente baseado na QS-9000 (EUA), AVSQ (Itália), EAQF (França) e VDA 6.1 (Alemanha). Juntamente com os requisitos específicos de cada cliente, esse documento define os requisitos do sistema da qualidade a serem usados na cadeia de fornecimento do setor automotivo.

Em 2002 foi publicada a nova revisão desta especificação técnica, a ISO/TS 16949:2002, agora realinhada com a estrutura da ISO 9001:2000. Como pontos importantes podemos destacar a estruturação dos requisitos conforme a abordagem por processos, a participação da associação dos fabricantes de veículos do Japão (JAMA - Japan Automobile Manufactures Association) e a aplicabilidade da certificação também para as montadoras de veículos.


Em 2009 a ISO/TS 16949 foi revisada de forma a alinhar-se com a revisão da ISO 9001:2008. As principais alterações foram referentes às notas de esclarecimentos de forma a melhorar o entendimento dos requisitos.


A IATF é um grupo formado por fabricantes da indústria automotiva e suas associações de classe, cujo objetivo é proporcionar continuamente produtos de qualidade aos clientes automotivos no mundo inteiro. É também responsável pela definição dos requisitos de acreditação dos organismos de certificação, dos requisitos de treinamento e qualificação dos auditores, e também pela definição da sistemática de certificação de terceira parte das empresas.

A ISO/TS 16949 tem como objetivo principal unificar os requisitos de certificação das indústrias automotivas a nível mundial, evitando-se assim múltiplas certificações, sendo atualmente o principal modelo de certificação reconhecido pelas montadoras de veículos.

ISO 14000 - Sistemas de Gestão Ambiental
O conjunto de normas ISO 14000 foi desenvolvido pela ISO - International Organization for Standardization. Especificamente, a ISO 14001 é o padrão utilizado e reconhecido internacionalmente para a certificação de sistemas de gestão ambiental.
É uma norma bastante similar em estrutura quando comparada com a ISO 9000, contudo seu foco é definir os requisitos para que as empresas possam atendê-los de forma a prever sua operação industrial de uma maneira ambientalmente correta. A ISO 14001 fornece meios para que as empresas possam gerenciar, implementar e melhorar seus programas ambientais, permitindo a identificação, controle e monitoramento dos pontos ambientais importantes (resíduos, poluentes, reciclagem, produtos perigosos, etc.) relacionados aos processos de negócios da empresa.
A certificação do sistema de gestão ambiental está cada vez mais importante, principalmente para as indústrias do setor automotivo, devido à maior conscientização ambiental e também porque muitas montadoras (ex. GM, Fiat, Ford) estabelecem requisitos aos seus fornecedores para que se certifiquem conforme a ISO 14001.
Temos, em nosso corpo técnico, auditores altamente qualificados para os segmentos da indústria e especialistas em legislação ambiental para prover um processo de certificação que agregue valor para a empresa.


OHSAS 18000 
“Em 1999 a Occupational Health and Safety Assessment Series lançou a OHSAS 18001:1999, Occupational Health and Safety Management System. No desenvolvimento da norma houve a preocupação de ter em conta algumas normas nacionais já existentes (Inglaterra em 1966, BS 8800; Espanha em 1997, UNE 81900; EUA em 1996; Norma OHS), assim como a compatibilidade com as normas ISO 9000 e 14000.
O sistema de certificação OHSAS foi projetado para ajudar as organizações a formularem políticas e metas de saúde e segurança ocupacional, e sua norma se aplica a qualquer organização que queira adotar ações mais efetivas em gestão dos riscos à saúde e segurança ocupacional. A OHSAS 18001 mede seus sistemas de gestão em várias dimensões, cuja abrangência de aplicação dependerá de fatores como da política de saúde e segurança ocupacional da organização, a natureza de suas atividades, e as condições sob as quais opera.
Com a série OHSAS 18000, as organizações que querem ir além da legislação comunitária e nacional, implantando um Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho, têm ao seu dispor um referencial que lhes permite serem avaliadas e certificadas por uma organização externa (organismo de Certificação) - podendo com isso obter frutos da melhoria de seus procedimentos, incluindo um diferencial de mercado que pode ser explorado em ações de marketing.
VDA 6.x - Requisitos Automotivos da Alemanha
A VDA 6.1 é uma norma desenvolvida pela indústria automotiva da Alemanha (VDA - Verband der Automobilindustrie e.V.) para certificação do sistema de gestão da qualidade dos fornecedores de montadoras como Volkswagen, Audi, BMW, Porsche, Mercedez-Benz e outros.

A maior parte dos requisitos da VDA 6.1 é baseada na norma ISO 9001, porém organizados em elementos distribuídos em 2 partes: Gerenciamento e Produto/Processo. Estes elementos incorporam requisitos da ISO 9001, requisitos da ISO 9004 (diretrizes para melhoria de desempenho), requisitos específicos do setor automotivo e da EAQF (requisitos automotivos da França).


A VDA 6.4 é uma norma desenvolvida para ser utilizada em empresas que fabricam equipamentos e ferramentas para a aplicação na produção automotiva. Atualmente, o objetivo de atingir a qualidade tem uma nova dimensão que inclui também as áreas de fabricação de máquinas, ferramentas e equipamentos de inspeção e ensaios.


A estrutura básica da norma VDA 6.4 e seu sistema de avaliação é em grande parte idêntica à VDA 6.1, porém ela leva em consideração particularidades e interesses específicos dos fornecedores de produção de equipamentos.

 
ABNT NBR 16001 ABNT
O que é
É uma norma brasileira de responsabilidade social que tem caráter de sistema de gestão e propósito de certificação.
Origem
Fundada em 1940, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o órgão responsável pela normalização técnica no País, que fornece base necessária ao desenvolvimento tecnológico brasileiro. É entidade privada, sem fins lucrativos e membro fundador da International Organization for Standardization (ISO); da Comissão Pan-americana de Normas Técnicas (Copant) e da Associação Mercosul de Normalização (AMN).
A ABNT, como representante oficial da ISO no Brasil, estabeleceu em dezembro de 2002 um grupo-tarefa para o desenvolvimento de uma Norma Brasileira de Requisitos em Sistema de Gestão de Responsabilidade Social.
O projeto foi submetido a consulta nacional. O Grupo teve mais de 140 participantes cadastrados em suas discussões e elaborações, das mais diversas partes interessadas, que representaram empresas privadas, públicas, governos, ONGs, universidades, normalizadores, entre outros.
Após dois anos de preparação, foi publicada, em dezembro de 2004, a norma ABNT NBR 16001 – Responsabilidade Social – Sistema de Gestão – Requisitos, responsabilidade da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que pode ser adquirida por meio do site da ABNT: www.abnt.org.br.
Atualmente, além de dar continuidade ao desenvolvimento dos documentos complementares à ABNTNBR 16001, a comissão é o fórum onde se reúne a delegação brasileira para a discussão das posições nacionais a serem levadas ao Grupo de Trabalho da ISO 26000, de Responsabilidade Social.
Objetivo
Esta Norma estabelece os requisitos mínimos relativos a um sistema da gestão da responsabilidade social, permitindo à organização formular e implementar uma política e objetivos que levem em conta os requisitos legais e outros, seus compromissos éticos e sua preocupação com a:
• promoção da cidadania;
• promoção do desenvolvimento sustentável, e
• transparência das suas atividades.
A NBR 16001 tem por objetivo fornecer às organizações os elementos de um sistema da gestão da responsabilidade social eficaz, passível de integração com
outros requisitos da gestão, de forma a auxiliá-las a alcançar seus objetivos relacionados com os aspectos da responsabilidade social. Não se pretende criar
barreiras comerciais não-tarifárias, nem ampliar ou alterar as obrigações legais de uma organização. Ela não prescreve critérios específicos de desempenho da
responsabilidade social e se aplica a qualquer organização que deseje:
• implantar, manter e aprimorar um sistema da gestão de responsabilidade social;
• assegurar-se de sua conformidade com a legislação aplicável e com sua política da responsabilidade social;
• apoiar o engajamento efetivo das partes interessadas;
• demonstrar conformidade com esta Norma ao:
- realizar uma auto-avaliação e emitir autodeclaração da conformidade com esta Norma;
- buscar confirmação de sua conformidade por partes que possuam interesse na organização;
- buscar confirmação de sua autodeclaração por uma parte externa à organização; ou
- buscar certificação do seu sistema da gestão da responsabilidade social por uma organização externa.
Os requisitos da NBR 16001 são genéricos, para que possam ser aplicados a todas as organizações. Sua aplicação dependerá de fatores como a política de responsabilidade social da organização, a natureza de suas atividades, produtos e serviços; da sua localidade e das condições em que opera.
Conteúdo
A NBR 16001 utiliza, como um dos seus fundamentos, as três dimensões da sustentabilidade – econômica, ambiental e social –, conceitos descritos como
sustentabilidade. Está fundamentada na metodologia conhecida como PDCA (Plan-Do-Check-Act, ou planejar- fazer-verificar-atuar).
Os objetivos e metas devem ser compatíveis com a política de responsabilidade social e devem contemplar (mas não se limitar a):
a) boas práticas de governança;
b) combate à pirataria, sonegação e corrupção;
c) práticas leais de concorrência;
d) direitos da criança e do adolescente, incluindo o combate ao trabalho infantil;
e) direitos do trabalhador, incluindo o de livre associação, de negociação, a remuneração justa e benefícios básicos, bem como o combate ao trabalho forçado;
f) promoção da diversidade e combate à discriminação (por exemplo: cultural, de gênero, de raça/etnia, idade, pessoa com deficiência);
g) compromisso com o desenvolvimento profissional;
h) promoção da saúde e segurança;
i) promoção de padrões sustentáveis de desenvolvimento, produção, distribuição e consumo, contemplando fornecedores, prestadores de serviço, entre outros;
j) proteção ao meio ambiente e aos direitos das gerações futuras; e
k) ações sociais de interesse público.
Sumário
Prefácio
Introdução
1 Objetivo
2 Definições
3 Requisitos do sistema da gestão da responsabilidade social
3.1 Requisitos Gerais
3.2 Política da responsabilidade social
3.3 Planejamento
3.3.1 Aspectos da responsabilidade social
3.3.2 Requisitos legais e outros
3.3.3 Objetivos, metas e programas
3.3.4 Recursos, regras, responsabilidade e autoridade
3.4 Implementação e operação
3.4.1 Competência. Treinamento e conscientização
3.4.2 Comunicação
3.4.3 Controle operacional
3.5 Requisitos de documentação
3.5.1 Generalidades
3.5.2 Manual do sistema da gestão da responsabilidade
3.5.3 Controle de documentos
3.5.4 Controle de registros
3. 6 Medição, análise e melhoria
3.6.1 Monitoramento e medição
3.6.2 Avaliação da conformidade
3.6.3 Não-conformidade e ações corretiva e preventiva
3.6.4 Auditoria interna
3.6.5 Análise pela Alta Administração
Anexo A (informativo) Bibliografia
Anexo B (informativo) Outros termos
Referências
www.abnt.org.br

www.iadb.org/ETI
CA/Documentos/abn_norma-p.doc

 


Um comentário:

  1. Toyota faz recall de 424.641 veículos no Brasil por airbags mortais | Auto Esporte | G1 - http://g1.globo.com/carros/noticia/2015/10/toyota-faz-recall-de-40045-unidades-de-corolla-e-fielder-por-airbag.html

    ResponderExcluir